domingo, 17 de outubro de 2010

Ser livre


É perfeitamente normal e divino o direito de querer  e de ser livre.
Ter liberdade de expressão, liberdade na sua casa, liberdade pra fazer o que der na telha, liberdade de dívidas, de culpas, de cobranças.
Tem gente que gosta de ser dependente, que gosta de se apoiar nos outros, nas idéias dos outros, copiar os outros...
Eu sempre senti necessidade de ter iniciativa...acho que parte disso herdei dos meus pais e a outra parte estou aprendendo um dia após o outro.
Ficar em dúvida do que dever ser feito, não ter certeza do que está fazendo, estar consciente de estar no caminho errado e, continuar nessa condição só por preguiça, comodismo ou até mesmo vergonha de se informar, de perguntar, de mudar, não é legal.
Primeiro porque a sensação de dependência nos torna frágeis.
A impressão que se tem é que você pode ser manipulado e no fundo isso muitas vezes acaba acontecendo.
É preciso defender sua opinião, seus desejos, seu espaço.
Aprender com os outros, ouvir opiniões (quer concordamos ou não) nos ajuda a formar as nossas próprias idéias. Mas, fazer exatamente o que o outro quer, sempre, pra não desagradar, não ficar mal com o outro vai te destruindo aos poucos.
Você vai perdendo sua identidade, e pense nisso, pra quê?
Só pra não deixar o outro chateado? Pra evitar a fadiga? O conflito? O que os outros vão pensar?
E o conflito no seu interior por não ter sido firme e deixado claro o que você realmente quer?
Quem vai consertar isso?
Todos nós somos inteligentes e podemos decidir o caminho por onde devemos e podemos andar.
Mas é bom lembrar que liberdade significa responsabilidade.
Coloquei dentro de mim que não posso e não devo esperar demais dos outros, criar expectativas demais, porque simplesmente o ser humano é falho. O máximo que podemos fazer é dar chance, filtrar o que se tem de bom, e, se você se decepcionar depois já poderia estar de "sobreaviso".

Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois firmes e não vos submetais de novo a jugo de escravidão. (Gálatas 5.1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! Volte sempre!