quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Nós Mulheres...

Quando sinto falta de alguma coisa, tenho a impressão que estou sem um pedaço de mim.
É como se as coisas estivessem fora do lugar, e eu não conseguisse encontrar o que estou procurando no meio da bagunça.
Quando isso acontece, nem mesmo eu consigo identificar o que falta, mas, a necessidade está lá; e sei disso porque percebo através do descontentamento, do tédio, da tristeza sem causa, do aperto no peito, da vontade de não sei o quê...
Tem aqueles que dizem assim: "Isso é coisa de mulher"; "Isso é frescura"; "Falta do que fazer"; "Falta de apanhar"...e por aí vai.
Mesmo que eu saiba que tem muitos homens que se sentem assim algumas vezes, concordo que existe aquela fase da mulher, terrivelmente complicada, que é denominada de TPM, e que é a culpada da maioria das lágrimas e desconfortos conflitantes emocionais e físicos (rsrs) da mulher.
Concordo também que nós mulheres somos "complicadas" e "perfeitinhas", e que precisamos de colo como crianças literalmente, ainda que nosso papel seja o contrário no momento.
Concordo que somos choronas, que somos muitas vezes irritantes, impulsivas e terrivelmente sentimentais.

Mas, também tenho que concordar que se somos assim, existe alguma razão.
Não acredito que o mundo seria melhor se as mulheres não fossem sensíveis.
Imagine uma mãe, com um coração extremamente racional, sem sentimentos, fazendo o filho de colo que está aos prantos dormir..."Silêncio garoto, não adianta chorar, porque o seu mal é sono, portanto não me importo com seu choro, espero que durma." vira as costas e sai, esperando que o filho durma.

Imagine um marido que chega do trabalho, cansado, estressado com o trânsito, que se depara com uma mulher insensível: "A comida está pronta, é só pegar o quanto quiser."

Ou ainda, um marido doente, com uma mulher insensível ao lado: "Você está com dor? Tá, mas não sou médica, portanto não ainda reclamar comigo, o que posso fazer é te levar ao médico que te dará uma injeção e acabará com isso."

Acredito sim, que os homens justos, leais, de boa índole, carinhosos, sinceros e compreensivos, o são, boa parte, por contribuição do convívio com suas amadas mães, que na sua infância, contribuíram para a formação do caráter e personalidade desses homens, através do seu modo sensível de os ensinar a enfrentar o mundo.

É...mesmo tomando conta de muitas situações e muitas vezes "se virando" sozinhas, graças a Deus por sermos sensíveis, e assim sendo, lembrarmos que somos mulheres, e que, mesmo tão frágeis, ainda conseguimos ser tão fortes.

Para meditar:
"Finalmente, sedes todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança." I Pedro 3:8-9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! Volte sempre!