quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Piolho não!!!


Oi gente!!! Hoje vim falar com vocês de um assunto sério e de utilidade pública.

Pediculis humanus capitis. Esse é o nome científico e "bonitinho" dado ao parasita mais conhecido como "piolho".

O assunto é constrangedor, fato; mas é necessário encarar e partir para o combate assim que identificado o contágio.

Infelizmente, o que acontece, é que ainda existem muitos pais que nada fazem quando ficam sabendo que seus filhos em idade escolar estão com piolhos (pasmem). 

Alegam falta de tempo, por trabalharem fora, dizem que "não sabiam",  que isso "é normal por ser fase da infância", etc, etc, etc. 

A questão é que, se não tratado, o problema pode se agravar e o contágio torna-se inevitável,  podendo acontecer por um simples abraço e afetar toda a família.

Mas, calma! Não há necessidade de desespero ou de afastamento das pessoas contagiadas. 
Com perseverança e cuidados básicos é possível eliminar o problema.

Como eu já comentei aqui no blog, estou fazendo curso de cabeleireira, e no atendimento a clientes,  tenho notado que muitas pessoas em fase adulta estão enfrentando o problema com os piolhos e lêndeas. Porém, a maioria, quando são alertadas dizem que não perceberam, não sabiam, ou ainda, que estão tratando...enfim, ficam constrangidas, e em alguns casos até vão embora com raiva porque não foram atendidas.

Não percebem, ou não se importam com o risco de contaminação dos materiais dos profissionais, e contágio de outros clientes. 

Site da imagem

Mas, como combater?

1. O piolho vive entre os fios e se alimenta do sangue do couro cabeludo. O seu lugar preferido para depositar os ovos - chamados de lêndeas - é bem próximo da raiz. Por isso, para removê-las é preciso utilizar um pente bem fino e de cabo longo para facilitar o processo.

2. Os melhores métodos para eliminar o piolho são os xampus e as loções formuladas com permetina. "Usada nos fios úmidos a substância penetra nos poros do animal por onde ele faz a respiração, atingindo o seu sistema nervoso e causando uma paralisia e morte do inseto", explica o médico Marcos Perrotti, do laboratório Solvay Farma.

3. Para o tratamento ser bem-sucedido é necessário que toda a família e pessoas que tiveram contato com quem foi infectado façam uso do remédio. O tratamento não pode ser interrompido antes do período indicado, mesmo que o sintoma tenha desaparecido, porque pode ocorrer uma recidiva.

4. Uma das opções mais modernas é o medicamento ivermectina (Revectina), do laboratório farmacêutico Solvay Farma, prescrito por médico em dose única oral. "A ivermectina age impedindo a transmissão de impulsos nervosos nos parasitas, fazendo com que eles fiquem imobilizados e sejam expulsos pelo organismo", explica a dermatologista da Escola Paulista de Medicina, Silmara Cestari. Contra-indicado para grávidas, o produto só pode ser usado por pessoas com mais de 15 quilos que não tenham meningite.
Como prevenir?

1. Trocar as roupas de cama e de uso pessoal diariamente.
2. Tomar banho todos os dias e lavar o cabelo quando necessário.
3. Não emprestar pentes e escovas para outras pessoas.
4. Evitar deixar o cabelo úmido e prender só quando estiver seco.
5. Observar regularmente a cabeça das crianças à procura de piolhos e lêndeas.

Bom, então é isso pessoal, com cuidado e dedicação ficamos todos livres desse desagradável "bichinho" que ninguém tem estimação nenhuma não é mesmo? rsrs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! Volte sempre!